Maioria das mães brasileiras não planejava engravidar, aponta estudo

Por Patricia Machado em 05/12/2016

A Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, da Fundação Oswaldo Cruz, divulgou os resultados de uma das mais completas pesquisas realizadas no Brasil sobre a gestação e o parto. O estudo descobriu que a maioria das mães brasileiras não planejou a gravidez e que esse número é maior do que a porcentagem média encontrada no mundo.

+ Fases do trabalho de parto: conheça cada uma delas

+ Parto humanizado: benefícios e cuidados

Os cientistas envolvidos no projeto entrevistaram 23.894 mães após o nascimento de seus bebês em 191 municípios. Elas eram ouvidas pelos pesquisadores logo após o parto e quando o bebê completava dois meses, seis meses e um ano. O objetivo era responder perguntas que identificavam se a mulher queria ter engravidado, se preferiria esperar mais tempo ou se não queria engravidar. Além disso, os pesquisadores estudaram o prontuário da mãe e do bebê e o cartão de pré-natal.

Os resultados encontrados mostraram que 55,4% das mulheres que tiveram filhos não planejaram a gestação. Esse número é mais alto que a porcentagem média encontrada no mundo, que é de 40%. Dentre as mães que não planejaram a gravidez, 25,5% delas preferiam esperar mais tempo para ter um bebê e 29,9% não desejavam engravidar em nenhum momento da vida.

A pesquisa também pôde concluir o perfil das pessoas que planejavam uma gestação. As mães costumam ser brancas (52,7%), de maior escolaridade (59,3%), com idade acima de 35 anos (52%) e possuem relações estáveis (49,5%).

Foto: Getty Images