Invenção é capaz de salvar até um milhão de vidas por ano

Por Mariana Castro em 21/09/2016

Grandes invenções surgem, muitas vezes, de pequenas curiosidades. Durante uma viagem de 5 dias pelo México, William Broadway, de 22 anos, teve que descobrir uma maneira de conservar 13 quilos de gelo. O resultado disso foi um pequeno aparelho que, segundo a Organização Mundial de Saúde, será capaz de salvar mais de um milhão de vidas por ano.

+ Vacina contra o zika vírus poderá ser testada em 2017

+ Vacina contra vício em cocaína é desenvolvida no Brasil

O estudante da Universidade de Loughborough, no Reino Unido, desenvolveu uma microgeladeira que poderá armazenar vacinas por mais tempo, garantindo que elas cheguem aos seus destinos mais remotos. Diferente das geladeiras convencionais, o tamanho desta permite que ela seja carregada até mesmo na mochila e conserve o seu conteúdo em uma temperatura que varia entre 2º e 8ºC por até 30 dias.

Para funcionar, a microgeladeira precisa ser carregada por uma hora para aquecer. Ela funciona misturando água e amoníaco, que criam o efeito refrigerador e conservam a temperatura do dispositivo. Não se trata de um equipamento complexo, mas apresenta um enfoque prático que solucionaria um problema que causa milhares de mortes por ano: o risco de que as vacinas não cheguem a tempo em destinos distantes de países em desenvolvimento.

“As vacinas chegam quase até o fim do caminho, mas, no último quilômetro, os canais de distribuição e logística se rompem”, afirmou William em um vídeo feito pela universidade a respeito da invenção. Batizada de Isobar, a criação também tem o potencial de ser usada como transporte de órgãos doados, sangue para transplante e células-tronco.

+ Perfume inovador promete ajudar no emagrecimento

A alternativa criada pelo jovem lhe rendeu uma vaga entre os finalistas do James Dyson 2016, um dos prêmios de tecnologia mais respeitados do mundo. William, no entanto, não pretende criar uma patente para o seu produto. Ele recebeu mais de R$ 8,5 mil para fabricar os primeiros protótipos da geladeira, mas disse não ter interesses comerciais. “Ganhar o prêmio me daria confiança para desenvolver minha invenção. Isso poderia ter um grande impacto e beneficiar milhares de pessoas”, contou ele.

Veja fotos do aparelho:

isobar 4 - reprodução

isobar 5 - reprodução

isobar 3 - reprodução

isobar 2 - reprodução

Fotos: Reprodução