Fumar ocasionalmente aumenta os riscos de hemorragia cerebral, diz estudo

Por Mariana Castro em 27/07/2016

Se você não se considera fumante, mas, vez ou outra, se rende ao cigarro do amigo, fique atento: esse hábito também pode ser fatal. Um estudo publicado no American Heart Association’s Journal revelou que fumar socialmente aumenta os riscos de hemorragia cerebral, principalmente nas mulheres. A pesquisa foi feita na Finlândia com 65 521 pessoas.

+ Parar de fumar pode fazer bem para o fígado, segundo estudo

+ 9 mudanças de hábitos que podem ajudar na prevenção do câncer

Os resultados mostraram que fumantes têm três vezes mais chances de desenvolver o sangramento no cérebro do que as pessoas que não fumam. Os riscos aumentam com a quantidade de cigarros fumados por dia, mas fumar ocasionalmente também carrega um risco alarmante.

Homens que fumam socialmente dobram os riscos de ter uma hemorragia cerebral. Enquanto isso, os que chegam a fumar 20 cigarros por dia têm 2.2 vezes mais chances de sofrer com o problema. A diferença é pequena, o que demonstra que não há um nível de consumo seguro para a substância.

+ Consumo de álcool pode desenvolver sete tipos de câncer, diz pesquisa

O quadro é ainda mais grave para mulheres. Aquelas que fumam um cigarro por dia têm três vezes mais chances de sofrer do problema, enquanto o risco sobe para 3.5 vezes para mulheres que fumam um maço inteiro. Por isso, Joni Lindbohm, da Universidade de Helsinki, na Finlândia, e líder da pesquisa, adverte: “A melhor opção é nunca começar”.

De acordo com o estudo, parar de fumar completamente reduz o risco. Os entrevistados que se abstiveram de cigarro por seis meses apresentaram probabilidades muito menores de desenvolver a doença.

Foto: Thinkstock