Flexibilidade no horário de trabalho faz as pessoas trabalharem mais, conclui pesquisa

Por Mariana Castro em 19/08/2016

Se você pudesse trabalhar a hora que quisesse e onde quisesse, quanto tempo você trabalharia por dia? Muitos diriam que usariam essa liberdade para passar mais tempo com suas famílias ou fazendo outras atividades. Mas, ao contrário do que se imagina, a flexibilidade no horário de trabalho leva as pessoas a trabalharem por mais horas quando comparado com aquelas que têm um horário fixo de trabalho.

+ Checar e-mails fora do trabalho causa estresse e problemas conjugais, aponta pesquisa

+ Como ser mais feliz no trabalho

Os pesquisadores Heejung Chung e Yvonne Lott examinaram a quantidade de horas extras que trabalhadores alemães faziam quando passavam a ter mais controle dos seus horários de trabalho. O estudo, publicado no periódico European Sociological Review, revelou que o número de horas trabalhadas era maior quando os funcionários tinham autonomia sobre seus horários.

Diversas razões podem levar a este padrão. A troca de favores é uma delas: pessoas que concedem mais liberdade a seus funcionários recebem, em troca, mais dedicação no trabalho, como uma tentativa de mostrar que eles podem ter mais autonomia. Outra razão pode ser uma estratégia de departamento de recursos humanos do local de trabalho, que se preocupa menos com horários rígidos e mais com a produtividade dos funcionários.

Diferenças de gênero 

Mulheres que trabalham meio período, geralmente, o fazem para atender as demandas familiares no restante do tempo. Por isso, elas não fazem horas extras como homens quando têm horários mais flexíveis. Já as mulheres que trabalham período integral, mesmo as que são mães, fazem a mesma quantidade de horas extras que homens com horários flexíveis.

Foto: Getty Images