Estudo sugere que preguiça é sinal de inteligência

Por Mariana Castro em 10/08/2016

A imagem do nerd que não larga os livros e do atleta que vai mal na escola são dois estereótipos comuns da sociedade. Mas, talvez, eles não estejam tão longe da realidade. Segundo um novo estudo, pessoas mais inteligentes tendem a ser mais sedentárias, enquanto as com menor QI são mais ativas.

+ Pesquisa descobre que pessoas com QI alto vivem mais

+ Os benefícios do esporte para o corpo e para a mente

Pesquisadores da Florida Gulf Coast University, nos Estados Unidos, explicaram que as pessoas que usam muito a inteligência, questionando tudo e estudando respostas, vivem imersas em seus pensamentos e, portanto, não precisam de muitos estímulos externos. Enquanto isso, as pessoas ativas sentem a necessidade de ocupar suas mentes com atividades externas, uma vez que ficam entediadas e inquietas mais facilmente.

Liderado por Todd McElroy, o estudo consistiu em um teste com 60 estudantes norte-americanos. Através de questionários, eles foram categorizados em “pensadores” e “não-pensadores”. Após essa classificação, os dois grupos usaram um dispositivo no pulso que registrava seus movimentos e níveis de atividade física por uma semana.

Os resultados, publicados no periódico Journal of Health Psychology, mostraram que o grupo de pensadores foi menos ativo durante a semana de testes do que as pessoas classificadas como não-pensadores, fazendo com que as pessoas mais inteligentes fossem consideradas mais sedentárias.

Foto: Thinkstock