Estudo revela que crianças que tomam antibióticos têm mais chances de desenvolver diabetes

Por Mariana Castro em 23/08/2016

Um novo estudo conduzido pela Universidade de Nova York, nos Estados Unidos, revelou que medicar bebês e crianças com antibióticos pode aumentar drasticamente as chances dos pequenos desenvolverem diabetes, sendo o sexo masculino ainda mais vulnerável.

+ Comida caseira diminui o risco de desenvolver diabetes, diz estudo

+ Cientistas descobrem a quantidade ideal de exercícios para ajudar na prevenção de doenças

Os pesquisadores compararam a saúde de camundongos jovens tratados diversas vezes com antibióticos com a saúde de ratos que nunca tomaram o medicamento. O resultado mostrou que os que haviam tomado três doses do medicamento até a sexta semana de vida (o equivalente a dois anos e meio para os seres humanos) tinham o dobro de chances de desenvolver diabetes.

A diabetes tipo 1 ocorre quando o corpo destrói as células do pâncreas, que são responsáveis por transformar açúcar em energia. O que os pesquisadores americanos observaram é que alguns microorganismos da flora intestinal ensinam o sistema imunológico a não permitir tais ataques. Se essas bactérias amigáveis são destruídas por antibióticos nos primeiros estágios de vida, a doença pode se desenvolver.

The doctor takes blood.

A partir da descoberta, os cientistas acreditam que pode ser que, no futuro, novos tratamentos para a doença sejam desenvolvidos. “Se certas bactérias são particularmente boas em treinar o sistema imunológico para que ele se desenvolva normalmente, crianças com risco de diabetes tipo 1 podem recebê-las como um tratamento”, explicou o pesquisador Martin Blaser ao jornal Daily Mail.

Apesar do resultado da pesquisa, ele alerta que as crianças devem continuar realizando o tratamento que for recomendado por seus médicos, uma vez que novos estudos precisam ser realizados sobre o tema.

Fotos: Getty Images