Dormir pouco pode afetar a aparência e arruinar a vida social das pessoas, diz estudo

Por Mariana Castro em 24/05/2017

É muito fácil notar quando uma pessoa está cansada. Olheiras, palidez e inchaço são algumas das características físicas de quem dorme pouco, comprovando que a expressão sono de beleza não existe à toa. Um novo estudo indicou que, além de serem consideradas menos atraentes, saudáveis e interessantes, a falta de sono pode prejudicar a vida social das pessoas.

+ Dormir muitas horas seguidas não compensa o ‘sono acumulado’, afirma pesquisa 

A pesquisa foi realizada pelo Instituto Karolinska, na Suécia. O estudo consistiu em fotografar 25 pessoas depois de duas noites de sono regular e após duas noites com apenas quatro horas de sono. Na segunda parte da pesquisa, 122 voluntários foram chamados para avaliar a aparência das pessoas nas fotos, levando em conta aspectos como atratividade, saúde, sonolência e confiabilidade dos participantes.

Os resultados mostraram que, mais do que a aparência, a falta de sono afeta o aspecto social da vida de quem dorme pouco. Apesar de só diminuir em 4% a sociabilidade dessas pessoas, os outros voluntários mostraram uma probabilidade de 20% a 30% menor de socializar com eles.

+ Uma hora de sono após o almoço pode rejuvenescer o cérebro, diz pesquisa

+ Falta de sono pode prejudicar os negócios, aponta pesquisa

“Se a pessoa parece menos saudável, é mais provável que as pessoas se afastem dela”, explicou a pesquisadora Tina Sundelin ao The Guardian. As hipóteses são que pessoas que se privam do sono tendem a ser mais pessimistas e ficar mais irritadas, o que afasta quem está ao seu redor. “Você logo percebe que alguém não dormiu direito porque ela geralmente está menos agradável e mais difícil de lidar”, afirmou Tina.

Foto: Getty Images