Dormir muitas horas seguidas não compensa o ‘sono acumulado’, afirma pesquisa

Por Mariana Castro em 02/05/2017

Com a rotina agitada, muitos tendem a dormir menos horas do que o necessário ao longo da semana. Por isso, é comum tentar compensar esse ‘sono acumulado’ ao dormir por muitas horas seguidas aos finais de semana. Esse balanço do sono, na verdade, não é funcional e, segundo pesquisas, pode prejudicar o cérebro.

+ Dormir menos de sete horas por dia engorda, garante estudo

+ Dormir com raiva favorece a criação de memórias negativas, diz pesquisa

Realizado pela Universidade Baylor, nos Estados Unidos, o estudo revelou que essa prática poderia gerar consequências como ansiedade, depressão e piora da função cognitiva e dos níveis de atenção e criatividade. Isso acontece, principalmente, em pessoas mais jovens.

Para o experimento, foram analisados os padrões de sono de 28 estudantes da universidade. Os resultados mostraram que 79% dos participantes dormiam menos do que a quantidade de horas recomendada, pelo menos três vezes por semana.

Também foram feitos testes que avaliavam a criatividade, o que os pesquisadores definem como a capacidade de ver elo entre coisas que, à primeira vista, parecem não estar relacionadas, e a atenção dos participantes. “Pudemos perceber que, quanto maior a variabilidade de sono durante a semana, pior a função cognitiva do participante”, contou Michael Scullin, diretor de neurociência e cognição do sono da Universidade Baylor, ao Daily Mail.

Foto: Getty Images