Cuidados essenciais na hora de consumir vitaminas

Por Patricia Machado em 08/07/2016

As vitaminas são essenciais para o desenvolvimento do organismo. Elas podem ser encontradas nos alimentos ou em comprimidos produzidos pela indústria farmacêutica. Para manter a saúde em dia, a maioria das pessoas prefere optar pela segunda opção, uma vez que as vitaminas estão entre os principais nutrientes consumidos sob a forma de suplementos.

+ Passo a passo para se tornar vegetariano

+ Beber suco pode não ser tão ruim quanto você imagina

“As pessoas buscam compensar os maus hábitos com o uso de suplementos vitamínicos, acreditando que soluções para saúde e beleza surjam exclusivamente através de seu uso. Como existe muita informação na internet, muitos se acham capazes de identificar quais suplementos devem usar para alcançar seus objetivos”, explica Francisco Tostes, endocrinologista e membro da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM).

De acordo com uma pesquisa divulgada pela Associação Brasileira da Indústria de Alimentos Para Fins Especiais e Congêneres (Abiad), 54% dos lares brasileiros têm pelo menos um indivíduo que consome suplementos. As vitaminas representam a maior fatia de consumo, com 48%, seguidas por minerais e suplementos extraídos de plantas, com 22% e 19%, respectivamente.

Antes de tomar qualquer tipo de suplemento é importante fazer uma avaliação médica e alguns exames. Somente dessa forma será possível determinar quais são as principais deficiências do organismo.

“A suplementação em excesso pode trazer diversos malefícios à saúde. Por exemplo, o excesso de ferro pode sobrecarregar o fígado, aumentar o risco de diabetes e de doenças cardiovasculares”, alerta o endocrinologista. Além disso, as vitaminas podem provocar efeitos indesejáveis como retenção de líquidos, palpitações e insônia.

Falta de vitaminas

Na maioria dos casos, as mulheres possuem necessidade de ferro, cálcio, vitamina D e ácido fólico. No caso dos homens, a atenção é voltada para o selênio e licopeno, que podem reduzir o risco de câncer de próstata. Já para os idosos, recomendam-se maiores quantidades de vitaminas do complexo B, cuja deficiência está ligada à distúrbios cognitivos.

“Quando há carência de alguma vitamina, começa a haver um prejuízo de todas as reações que dela dependem para ocorrer”, diz Francisco. “As vitaminas só são indicadas quando o paciente não consegue atingir a quantidade ideal de vitamina através da alimentação. Nesses casos, a recomendação costuma ser o consumo de um comprimido do suplemento vitamínico uma vez ao dia”, completa.

 Foto: Thinkstock