Crianças que dormem pouco podem ter depressão e ansiedade, diz pesquisa

Por Mariana Castro em 26/07/2016

Se você tem filhos, sabe que a temida “hora de dormir” pode transformar a sua casa em um campo de batalha. Afinal, as crianças querem aproveitar ao máximo o tempo em que podem ficar acordadas. No entanto, um novo estudo sugere que as horas de sono podem ser cruciais para garantir o bem-estar dos pequenos e, quando não aproveitadas, podem causar sérias doenças.

+ Privação do sono: veja o que acontece com o nosso corpo quando não dormimos direito

+ Estudo mostra por que você nunca deve bater em uma criança

Especialistas da Universidade de Houston, nos Estados Unidos, descobriram que crianças que dormem pouco ou têm as horas de sono interrompidas com frequência têm tendência a sofrer de depressão e ansiedade na fase adulta.

Para realizar a pesquisa, a psicóloga Candice Alfano restringiu temporariamente o sono de 50 crianças entre 7 e 11 anos. Os resultados mostraram que a falta de sono gerou emoções negativas e distorceu experiências emocionais positivas. Os pequenos também apresentaram maior dificuldade para lembrar detalhes de momentos divertidos.

Além disso, a psicóloga descobriu que esses sintomas desapareciam quando as crianças voltavam a dormir a quantidade de horas adequada. Isso provou que, a longo prazo, crianças que tiverem poucas ou mal aproveitadas horas de sono não terão tantas memórias positivas para relembrarem quando adultas.

“Ter um sono inadequado por muito tempo pode levar à depressão, ansiedade e outros transtornos psicológicos”, explicou Candice ao Daily Mail.

Para avaliar como está a qualidade do sono do seu filho, basta ficar atento a alguns hábitos do pequeno. Se ele apresentar dificuldade para acordar de manhã ou ficar sonolento durante o dia, há uma chance de que o seu sono poderia ser melhor aproveitado.

“Isso pode acontecer por diversos motivos. Ele pode estar indo para a cama muito tarde ou mesmo tendo um sono agitado que não permite que ele descanse o necessário”, explica a pesquisadora. Por isso, é necessário que os pais cuidem do sono das crianças com a mesma atenção que cuidam de sua higiene bucal, nutrição ou atividade física.

A recomendação médica é de que recém-nascidos com até quatro semanas durmam 16 horas por dia, bebês com até doze meses de idade durmam entre 14 e 15 horas e crianças com idades entre 1 e 3 anos durmam de 12 a 14 horas por dia.

Foto: Pixabay