Consumo de gorduras saturadas aumenta os riscos de morte precoce, revela estudo

Por em 08/07/2016

Um novo estudo conduzido pela Harvard TH Chan School of Public Health e publicado no US journal Jamal Internal Medicine revelou que o consumo de gorduras saturadas aumenta os riscos de morte precoce.

A pesquisa apontou que o consumo de gorduras trans e saturadas, incluindo aquelas presentes na carne vermelha e na manteiga, está relacionado a um maior índice de mortalidade.

+ Alimentos que já foram considerados vilões da saúde e hoje são aliados de muitas dietas

+ Receitas de sopas para te aquecer no inverno

Para chegar a essa conclusão os pesquisadores reuniram dados sobre os hábitos alimentares de mais 126 000 pessoas que foram acompanhadas ao longo de trinta anos. O objetivo era avaliar o impacto da alimentação na saúde e expectativa de vida.

O índice de mortalidade caiu de 11% a 19% entre as pessoas que substituíram a gordura saturada da manteiga, banha de porco e carne vermelha pelos óleos de canola, soja ou azeite. Pessoas que trocaram apenas 5% das gorduras trans e saturadas pelo azeite, por exemplo, tiveram o seu risco de morte precoce reduzido em 27%.

Outro dado interessante da pesquisa revelou que, além de reduzir os riscos de doenças cardiovasculares, uma dieta pobre em gorduras trans e saturadas também previne o surgimento de doenças neurodegenerativas como o Alzheimer e o Parkinson.

“Houve uma tremenda confusão na comunidade biomédica e com o público em geral, nos últimos anos, sobre os efeitos de alguns tipos específicos de gorduras na dieta”, disse ao jornal The Guardian Dong Wang, pesquisador do departamento de nutrição e epidemiologia da Harvard Chan e um dos autores do estudo. “Esse estudo documenta benefícios importantes das gorduras insaturadas, especialmente quando elas substituem as gorduras trans e saturadas.”