Saúde e Bem-Estar

Conheça o hypnobirthing, técnica que promete diminuir a dor durante o trabalho de parto

Conheça o hypnobirthing, técnica que promete diminuir a dor durante o trabalho de parto

“Parece dor de parto” ou “Fazer isso foi um parto” são expressões utilizadas para traduzir situações difíceis ou dolorosas. Somadas a outros fatores, elas contribuem para a ideia de que o nascimento de um bebê, talvez o acontecimento mais natural da humanidade, é, necessariamente, algo muito sofrido. Algumas mulheres desconhecem a possibilidade de um parto que seja, ao mesmo tempo, normal e confortável. E é nesse contexto que surge o hypnobirthing, um método de preparação de parto que tem como objetivo fazer com que a gestante viva essa experiência da forma mais tranquila possível.

As técnicas são relacionadas à hipnose, mas não da forma que você está acostumado a ver nos filmes. A mulher não fica inconsciente, muito pelo contrário, ela está totalmente presente e consegue ouvir melhor o que seu corpo pedirá na hora do parto. Ela permeia sua mente com pensamentos positivos com relação à chegada do bebê, para conseguir acessá-los durante o nascimento e entrar em um estado de relaxamento que torna a experiência mais fluida, rápida e menos dolorida.

+ Parto humanizado: benefícios e cuidados

+ Viver reclamando pode estar acabando com a sua saúde, diz pesquisa

“Já se descobriu que o corpo funciona muito bem quando estamos relaxados. Por isso, na hora das contrações, devemos focar nosso pensamento na chegada do bebê. Pensar no lado positivo e no real significado daquela dor nos faz encarar de forma diferente as sensações do próprio corpo”, falou Lucia Junqueira, fisioterapeuta, doula e instrutora de hypnobirthing.

No Brasil, ela é a única a oferecer o curso com este conjunto de técnicas de relaxamento. Desenvolvido nos Estados Unidos durante os anos 90, o método ainda é pouco disseminado aqui, mas já é aplicado em mais de 40 países. Ele é atrelado a técnicas de respiração que dão suporte a esse estado de relaxamento e é recomendável que seja praticado a partir da 14ª semana de gestação, quando a mulher começa a focar nos preparativos para a chegada do bebê. “Você pode começar a qualquer momento, mas o ideal é que tenha tempo para praticar durante a gestação. Assim, você já estará condicionada e, na hora do parto, conseguirá acessar facilmente esses pensamentos”, explicou a instrutora.

happy pregnant women exercising yoga in gym

O corpo da mulher está programado para, na medida em que libera ocitocina, um hormônio associado às contrações na hora do parto, também liberar endorfina, que age como um anestésico e produz sensações de bem-estar. Mas, quando se está estressada e com medo, sobem os níveis de ocitocina, mas não os de endorfina. Esse descompasso pode gerar dor e desconforto. “É como se nosso corpo fosse uma máquina e o estresse a enferrujasse. Deixando tudo lubrificado, o trabalho de parto pode acontecer de forma muito mais rápida, chegando a durar duas ou três horas, apenas”, contou Junqueira.

+ Mãe tira fotos do parot e mostra a sua visão da maternidade

Além disso, os músculos verticais do útero, que são responsáveis por abrir o colo do útero, funcionam melhor e dilatam mais quando a mulher está relaxada. O hypnobirthing encara o parto como um evento fisiológico. É parte fundamental da proposta do método, portanto, mostrar para a gestante que, se ela e o bebê estão saudáveis, o trabalho de parto pode ser livre de dor. “É sempre intenso, mas não necessariamente doloroso”, completou a especialista.

O curso é oferecido para a gestante e seu acompanhante, para que ele também possa ficar calmo e ajudá-la a aplicar o conhecimento na hora do parto. São dois encontros, que totalizam 12 horas e meia de aula. O valor é R$ 1.200 e inclui um livro, dois CDs e manuais para praticar em casa.

Saiba mais sobre o hypnobirthing no vídeo abaixo:

Procurando um médico ou um hospital? Clique aqui e faça a sua busca no Apontador.

Fotos: Getty Images

Mais em Saúde e Bem-Estar

Male doctor checking mammography machine scan with patient woman

Dor nas mamas: quando é normal e quando é preciso investigar

Redação Apontador07/12/2016
A closeup of a woman doing yoga outside with two other women

Ioga se transforma em patrimônio da humanidade

Patricia Machado06/12/2016
Happy smiling child enjoys listens to music in headphones

Cientistas criam playlist capaz de reduzir a ansiedade e o estresse

Mariana Castro06/12/2016
The pregnant woman who has an examination

Maioria das mães brasileiras não planejava engravidar, aponta estudo

Patricia Machado05/12/2016
man in bed eyes opened suffering insomnia and sleep disorder

Dormir com raiva favorece a criação de memórias negativas, diz pesquisa

Mariana Castro05/12/2016
hands of Concerned Women for medical report written by doctor

Mitos e verdades sobre a endoscopia

Patricia Machado05/12/2016
Happy little girl outdoors

Falta de exposição à luz do dia contribui para o desenvolvimento de miopia, aponta estudo

Mariana Castro05/12/2016
HIV blood sample

Mais de 110 mil brasileiros têm o vírus do HIV e não sabem disso, aponta relatório

Patricia Machado01/12/2016
Selection of tropical fruits on white background

Laranja e abacaxi são os alimentos que contém mais agrotóxicos

Mariana Castro01/12/2016
Pretty Woman makes a choice between bad food

Coaching de emagrecimento é novidade para quem deseja perder peso

Carolina Romanini01/12/2016
Reassuring patient

Campanha mostra a importância da busca por informações corretas em casos de câncer

Patricia Machado01/12/2016
Fun old woman

Aumenta expectativa de vida do brasileiro, segundo IBGE

Redação Apontador01/12/2016
pessoa mais velha do mundo - AP4

Pessoa mais velha do mundo completa 117 anos e revela o segredo da longevidade

Carolina Romanini01/12/2016
Young man and woman working together in architects office

Olhar nos olhos durante uma conversa dificulta o funcionamento do cérebro

Mariana Castro01/12/2016
Woman playing tennis

Praticar tênis pode reduzir o risco de morte em qualquer idade, sugere estudo

Redação Apontador30/11/2016