Comer chocolate faz bem para a saúde do coração, revela estudo

Por Mariana Castro em 29/05/2017

Além de proporcionar a sensação de felicidade, o chocolate já mostrou ser benéfico para a saúde por diversas razões. Segundo um novo estudo, seu consumo em quantidades moderadas pode fazer bem para o coração. Ele reduz o risco de arritmia cardíaca, mais especificamente de fibrilação atrial, condição que pode levar a derrames, insuficiência cardíaca e declínio cognitivo.

+ Psicólogos desenvolvem técnica para controlar compulsão por chocolate 

+ Dormir cedo pode ser sinal de problemas cardíacos, aponta pesquisa

A pesquisa realizada na Universidade Harvard, nos Estados Unidos, analisou os dados de 55.502 pessoas de 50 a 64 anos, coletados ao longo de quatro anos. Foram levados em consideração a massa corporal, pressão sanguínea e nível de colesterol, além das condições de saúde como pressão alta, diabetes e doenças cardiovasculares.

Dos participantes, 3.364 apresentaram fibrilação arterial. A partir disso, foi analisada a relação do consumo de chocolate amargo com a incidência da condição. Para os pesquisadores, isso está ligado aos antioxidantes presentes no cacau, que têm sido relacionados a um melhor funcionamento dos vasos sanguíneos.

Eles constaram que pessoas que comiam de uma a três porções de 30 gramas de chocolate por mês apresentaram uma taxa 10% menor de arritmia do que aqueles que comiam apenas uma porção. Os que consumiam o doce uma vez por semana tiveram uma taxa 17% menor, enquanto os que comiam de duas a seis vezes apresentaram 20% menos riscos. Por fim, pessoas que ingeriam uma ou mais porções diariamente apresentaram uma incidência de fibrilação arterial 16% menor.

+ Pessoas hipocondríacas têm mais chances de sofrer ataques cardíacos

O estudo ainda observou que, no caso das mulheres, bastava uma porção semanal de chocolate para que o risco reduzisse 21%. Para os homens, seria necessário de duas a seis porções por semana para uma redução de 23% na incidência da condição.

É importante ressaltar que as descobertas valem apenas para a versão amarga, uma vez que a presença de leite e gordura podem anular seus benefícios. Além disso, os autores do estudo alertam para um consumo exagerado, uma vez que muitos chocolates são ricos em calorias provenientes do açúcar e da gordura, o que poderia levar ao ganho de peso e outros problemas metabólicos.

Foto: Getty Images