Saúde e Bem-Estar

Ciência está cada vez mais perto de conseguir “apagar” memórias ruins

Ciência está cada vez mais perto de conseguir “apagar” memórias ruins

Todos nós já vivemos experiências no passado que gostaríamos de apagar: términos de relacionamentos, experiências traumáticas, perdas. Mas, muitas vezes, não importa o quanto tentemos, essas memórias continuam a nos assombrar, desencadeando crises de ansiedade, fobias ou distúrbios de estresse pós-traumático.

+ Por que temos lapsos de memória?

+ Por que nós sonhamos?

Agora, um estudo mostra que as memórias não são tão permanentes quanto se pensava. Na verdade, cientistas descobriram um método para apagar memórias ruins e adicionar novas no lugar.

No passado, acreditava-se que as memórias ficavam armazenadas em um local específico, como um armário de arquivo neurológico. Mas, na realidade, a química é quem age como essa “máquina”.  Cada vez que lembramos de algo, proteínas estimulam nossas células cerebrais para crescerem e criarem conexões. E toda a vez que isso acontece com uma memória ruim, substâncias como a norepinefrina e a noradrenalina entram em cena.

O que os estudos mostram é que se essas substâncias podem ser bloqueadas a partir de uma pílula e, se trabalhadas junto com o redirecionamento da mente, as pessoas podem sim superar grandes traumas até que sua memória apague o que lhe faz mal.

Devido às implicações éticas, os pesquisadores ainda não tentaram, explicitamente, excluir uma memória em sua totalidade em seres humanos, mas a evidência sugere que isso seria possível, dada a combinação certa de medicamentos e exercícios de recall.

O ponto mais preocupante da pesquisa é a investigação sobre como isso torna fácil para os cientistas implantar falsas memórias em pessoas. Ao manipular o mesmo processo de reconsolidação, a psicóloga Julia Shaw tem mostrado que é possível fazer as pessoas se lembrarem de um crime que nunca cometeram — e até mesmo fornecer detalhes vívidos sobre o evento fictício.

Você pode ver o seu trabalho em ação abaixo — um tanto assustador, por sinal:

Segundo Michael Bicks, diretor do documentário Memory Hackers, em última instância, o objetivo do projeto não é eliminar memórias dolorosas das pessoas inteiramente, como tentam fazer em Brilho Eterno de uma Mente Sem Lembranças, mas simplesmente ajustá-las para que elas sejam menos perturbadoras.

Não são exatamente as memórias que nos causam dor, mas as associações que fazemos a elas. “Não queremos limpar nossos ‘hard drives’. A habilidade de esquecer coisas doloridas nos permite criar novas histórias sobre quem somos”, conclui.

Mais em Saúde e Bem-Estar

Child's Hands Under Water Tap

Artistas ficam sem água por um dia para campanha de conscientização

Patricia Machado24/03/2017
Ball of pizza dough on a rustic wooden background

Baixo consumo de glúten pode levar à diabetes, aponta estudo

Mariana Castro24/03/2017
Captura de Tela 2017-03-21 às 15.55.05

Spa oferece serviço para bebês e faz sucesso na Austrália

Mariana Castro23/03/2017
Beautiful Norwegian landscape in the mountains

ONU divulga ranking com os países mais felizes do mundo

Mariana Castro22/03/2017
Drinking beer at bar

Pesquisa mostra que homens precisam consumir bebidas alcoólicas para socializar

Mariana Castro21/03/2017
Everything will be ok, I promise

Produtos infantis causam um acidente em bebês a cada 8 minutos

Mariana Castro21/03/2017
Happy Coffee Cup

Cafeína estimula enzima que pode prevenir demência, diz pesquisa

Mariana Castro20/03/2017
fat boy overweight. Tight shirt.

Cinco mitos sobre a obesidade infantil

Redação Apontador17/03/2017
Picture of pregnant woman holding heart sign to one side

Como funciona o processo de congelamento de óvulos?

Redação Apontador17/03/2017
Head full of thoughts when she is around

Praticar exercícios intensos pode afetar a libido dos homens, diz pesquisa

Mariana Castro16/03/2017
4 friends with drinks, sharing a pizza

Comer fora de casa aumenta as chances de sair da dieta, aponta estudo

Mariana Castro16/03/2017
Woman using mobile phone

Redes sociais aumentam a sensação de solidão, afirma pesquisa

Mariana Castro15/03/2017
I hate a vegetables! I'm not eating this!

Carência de ferro no organismo pode afetar o desenvolvimento físico e intelectual

Redação Apontador14/03/2017
Zika virus aedes aegypti Dengue chikungunya Mayaro fever human skin

Como se proteger da febre amarela?

Mariana Castro13/03/2017
doar-sangue-thinkstock1

Governo aprova novas regras para doação de sangue e transplante de órgãos

Mariana Castro13/03/2017