Cardiologista alerta para a importância da realização do primeiro check-up aos 30 anos

Por em 26/04/2016

Cerca de 30% das mortes no Brasil e no mundo são causadas por problemas cardiovasculares como o infarto ou o AVC, que podem evoluir silenciosamente, matando já na primeira manifestação. Além disso, quando o primeiro sintoma aparece, a doença já pode estar em estágios avançados e difíceis de serem tratados.

+ Trabalhar mais de 45 horas por semana pode aumentar o risco de doenças cardiovasculares, revela pesquisa

O primeiro passo para a mudança desse cenário está nos exames preventivos: “Quem não faz nenhum acompanhamento médico, não deve passar dos 30 anos sem realizar o primeiro check-up — principalmente para aqueles que possuem histórico familiar”, alerta César Jardim, cardiologista do Hospital do Coração, em São Paulo.

Segundo o médico, o check-up é uma avaliação da saúde do indivíduo de acordo com o sexo, idade e a relação dele com hábitos, antecedentes e características individuais, familiares, ambientais e profissionais. “Trata-se de uma avaliação médica ampla, que pressupõe a abordagem dos diversos aspectos da saúde física do paciente nas diferentes etapas da vida”, esclarece.

A partir dos 30 anos, a maior parte das mulheres e dos homens encontra-se num ciclo de vida diferente dos anteriores: novas relações sociais, interesses, ambições, trabalho, busca pela estabilidade. É também quando surgem, embora nem sempre perceptíveis, sinais de desgaste e degeneração no organismo, que costumam ser agravados pelo estresse.

+ 13 hábitos ruins que pessoas com vinte e poucos anos precisam largar

“Na ausência de problemas de saúde que exijam atenção médica periódica e específica, estes pacientes devem fazer o check-up de forma mais precoce para avaliação geral. Já para as mulheres, caso haja o plano de engravidar, deve ser acrescentado o check-up prévio à gestação”, ressalta o cardiologista do HCor.

Se os exames não detectarem nenhum problema, basta refazê-los a cada dois anos, em pacientes mais jovens, e anualmente, para os pacientes com mais de 40 anos.

“Alimentação balanceada e exercícios regulares são os dois hábitos saudáveis básicos para a prevenção de doenças cardiovasculares e outros problemas. Também recomenda-se evitar o tabagismo, o consumo exagerado de bebidas alcoólicas e controlar o estresse”, finaliza Jardim.