Saúde e Bem-Estar

Autistas têm mais chances de desenvolverem ansiedade, diz pesquisa

Autistas têm mais chances de desenvolverem ansiedade, diz pesquisa

Pessoas com autismo têm cinco vezes mais chances de desenvolverem transtornos de ansiedade. A descoberta é de um estudo comandado pelas universidades New Castle University, Brigham Young University e City University.

+ Casais que engordam juntos são mais felizes, diz pesquisa

+ Pesquisadores podem ter descoberto o que realmente faz as pessoas felizes

Estudos anteriores já haviam relevado os principais fatores que contribuem para o desenvolvimento da patologia, como a dificuldade de lidar com incertezas, problemas em aceitar experiências emocionais e a alexitimia, que é a incapacidade de reconhecer emoções nos outros e de expressar sentimentos.

No entanto, o estudo recente foi o primeiro dedicado a entender como a alexitimia pode influenciar no desenvolvimento de ansiedade em pessoas autistas.

Muitas pessoas caracterizam os autistas como frios, antissociais e desinteressados. Mas a pesquisa descobriu que, na verdade, eles sentem tanto quanto qualquer outra pessoa e é a alexitimia que os impede de serem empáticos, uma vez que são incapazes de entender as emoções de terceiros e as suas próprias.

Como o estudo foi realizado?

Para entender como esse traço pode influenciar no desenvolvimento da ansiedade em pessoas autistas, foram recrutados 151 adultos – sendo 76 delesdiagnosticados com o autismo. Os voluntários foram submetidos a questionários que mediam a presença de sintomas autistas como a ansiedade, a aceitação emocional, a intolerância para incertezas e a alexitimia.

Como esperado, o resultado mostrou que pessoas com autismo apresentam níveis mais altos de ansiedade, pois não sabem reagir às suas experiências emocionais.

Os pesquisadores sugerem que atividades que exercitem a atenção podem ser revolucionárias no tratamento do transtorno.

“Ao invés de se preocupar com o passado e o futuro, terapias que trabalhem a concentração são altamente indicadas. Elas ajudam o indivíduo a ter consciência de cada momento que ele vive, além de identificar, entender e aceitar emoções e sensações”, disse Sebastian Gaigg, um dos autores do estudo.

Foto: Pixabay

Saúde e Bem-Estar

Mais em Saúde e Bem-Estar

Friends in the cafe

Álcool compromete o cérebro mesmo sem causar embriaguez, diz pesquisa

Mariana Castro20/04/2017
Girl looking in the mirror

Cinco sinais de que sua pele está envelhecendo rápido

Patricia Machado19/04/2017
Businessman sleeping on the couch

Sonecas deixam as pessoas mais felizes, garante pesquisa

Mariana Castro18/04/2017
Pampering cream

Quatro hábitos que podem prejudicar a pele no inverno

Patricia Machado18/04/2017
Teen woman with headache holding her hand to head

Enxaqueca influencia no desenvolvimento de transtorno de ansiedade, conclui pesquisa

Mariana Castro17/04/2017
Woman doing yoga exercise

Meditar regularmente pode ajudar a reduzir o estresse, diz estudo

Mariana Castro17/04/2017
Portrait of a beautiful little girl with strawberry

Consumir frutas pode reduzir o risco de diabetes, aponta pesquisa

Mariana Castro17/04/2017
Sad little girl

Problema auditivo pode prejudicar o aprendizado das crianças na escola

Mariana Castro11/04/2017
mother teaching daughter to cut vegetables

Mitos e verdades da dieta vegana

Mariana Castro10/04/2017
assadura em bebes - istock

Dicas para tratar assaduras em bebês

Mariana Castro10/04/2017
Mother and daughter

Filhos de mães mais velhas têm menos problemas comportamentais, diz estudo

Mariana Castro07/04/2017
woman tired of diet restrictions craving sweets chocolate

Psicólogos desenvolvem técnica para controlar compulsão por chocolate

Mariana Castro06/04/2017
boy and headphones

Jogar videogame pode ajudar no combate à depressão, afirma pesquisa

Mariana Castro05/04/2017
Woman Suffering From Stomach Ache

Itália planeja oferecer licença remunerada para quem sofrem com cólicas menstruais

Mariana Castro03/04/2017
Prescription Drug

Tomar anti-inflamatórios aumenta o risco de infarto, diz pesquisa

Mariana Castro31/03/2017