Acreditar nos efeitos da nicotina pode agravar o vício em cigarro, conclui pesquisa

Por Mariana Castro em 16/09/2016

Todo fumante recebe uma carga de dopamina quando a nicotina contida nos cigarros entra em seu corpo. É essa reação química que caracteriza o vício na substância. Agora, cientistas revelaram um novo fator para a ocorrência do vício: acreditar nos efeitos da nicotina aumenta o desejo por cigarro. O estudo revelou que, se essas pessoas não acreditam que estão recebendo nicotina, essa carga de dopamina não é liberada.

+ Jovens usam cigarro eletrônico porque é descolado e divertido, diz pesquisa

+ Fumar ocasionalmente aumenta os riscos de hemorragia cerebral, diz estudo

A pesquisa foi realizada pela Universidade do Texas, nos Estados Unidos. Ao contrário do que esperavam, os pesquisadores descobriram que, para satisfazer o desejo por nicotina, os fumantes precisavam não apenas fumar o cigarro, mas acreditar que estavam fumando nicotina. “Isso sugere que, para a droga ter efeito em uma pessoa, ela precisa acreditar que está consumindo a droga”, explicou Xiaosi Gu, que conduziu o estudo, ao Daily Mail.

O estudo foi feito com 24 viciados em nicotina. Durante quatro visitas, os participantes fumaram dois cigarros contendo nicotina e dois cigarros contendo placebo. Na primeira vez, eles sabiam o conteúdo do cigarro em questão. Já na segunda, acreditavam fumar um tipo de cigarro quando estavam, na verdade, fumando um cigarro que continha outra substância. Em cada encontro, eles também eram submetidos a exames de ressonância magnética para medir a atividade cerebral. O objetivo era observar alterações na ínsula, região do cérebro relacionada aos vícios.

+ Parar de fumar pode fazer bem para o fígado, segundo estudo

Os participantes classificaram seus níveis de desejo antes e depois de fumar um cigarro. “Nós esperávamos que, ao fumarem nicotina, pudéssemos observar uma maior ligação com os desejos dos participantes do que quando eles não haviam entrado em contato com a substância, mas acreditavam ter fumado nicotina. No entanto, isso não aconteceu”, afirmou Read Montague, outro autor do estudo.

A ressonância magnética mostrou uma atividade neural significante quando os participantes fumavam cigarros de nicotina sabendo que o conteúdo era verdadeiro. Mas, ao fumar cigarros de nicotina, acreditando estar fumando placebo, o cérebro não emitia os mesmos sinais. Esses resultados dão suporte à teoria de que acreditar nos efeitos da droga consumida pode aumentar o vício na mesma.

Foto: Thinkstock