Mulheres que sofreram infarto tentam evitar o sexo, revela pesquisa

Por Pedro Katchborian em 04/05/2016

Mais de 70% das mulheres que sobreviveram a um infarto evitam a atividade sexual — algumas até para sempre — com o medo de que a relação possa ocasionar outro acidente.

+ Sexo deixa o relacionamento mais feliz — mesmo que você não admita, revela pesquisa 

Lauren Streicher, ginecologista, falou ao Chicago Tribune sobre o mito que envolve essa questão: “Doenças do coração são apenas um exemplo de um como um problema médico pode sabotar a vida sexual de alguém”, diz.

“Nós vivemos um tempo em que as mulheres sobrevivem aos infartos. E o que sabemos é que a maioria das mulheres que tiveram a experiência — mesmo as mais jovens — preferem não fazer sexo”, diz.

Lauren conta que a discussão sobre sexo com homens que tiveram um ataque do coração é muito mais aberta, enquanto a situação das mulheres é encarada como um tabu.

“A atividade sexual depois de um infarto pode ser segura”, diz Streicher. Em seu livro, ela conta que mais de 50% das mulheres que tiveram um ataque do coração tem problemas para chegar a um orgasmo. E, muitas vezes, isso ocorre por que a mulher se sente culpada em ter uma vida sexual saudável.