Peeling facial: conheça os benefícios e cuidados

Por Patricia Machado em 29/09/2016

Com o passar dos anos, as mulheres passam a ter um desejo: retardar o envelhecimento e manter os traços da juventude. Por esse motivo, elas fazem tratamentos estéticos e utilizam cosméticos para reverter o processo. Um dos métodos mais famosos para cuidar da aparência do rosto é o peeling facial.

+ Ter muitos amigos faz bem para a saúde, revela pesquisa

+ Descubra o que o estresse pode fazer com seu corpo

“Dependendo do nível de intensidade do tratamento, ele consegue reverter quadros de manchas, perda de elasticidade e envelhecimento precoce. O estimulo na pele aumenta a produção de colágeno e elastina, deixando a pele mais lisinha e fresca”, explica Marco Cassol, cirurgião plástico especializado em face feminina e membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.

Ao contrário do que se imagina, a função do procedimento não é apenas remover as células mortas da camada superficial da pele. O peeling sensibiliza a epiderme para conseguir estimular a derme, que é a camada mais profunda da pele e que será responsável por reais mudanças na face.

O tratamento pode ser realizado por qualquer pessoa e não há contraindicações. No entanto, é importante conversar com o profissional porque alguns produtos usados em determinados tipos de peeling possuem restrições.

“Ao resolver fazer um peeling, a paciente precisa dizer para o médico quais são as suas reais expectativas e o que ela deseja corrigir. Isso será fundamental para que o profissional possa determinar o melhor tipo de peeling”, orienta o cirurgião.

+ Mulher faz poses impressionantes de ioga e prova que qualquer um é capaz

Na maioria dos casos, recomenda-se que a pessoa faça três sessões. Cada uma delas acontece uma vez por mês, porque o peeling perde efeito após 21 dias. “Nos primeiros três dias após o procedimento, a pele costuma ficar inchada e vermelha. Ela também pode ficar um pouco irritada e com coceira na região. Algumas vezes, a pele pode ficar com casquinhas, como se fossem pequenas feridas”, afirma Marco.

De acordo com o cirurgião, é um mito acreditar que não é ideal fazer o peeling no verão. Ele pode ser feito em qualquer estação. Só será necessário que a paciente siga as orientações corretamente. Dentre elas está o uso de filtro solar e a não exposição ao sol. O preço médio do tratamento por sessão varia entre R$ 500 e R$ 1.500.

Tipos de peeling facial

Atualmente, existem três tipos de peeling facial. Eles podem ser feitos por meio de ácidos, a laser ou lixamento da pele.

“O tratamento feito à base de ácidos costuma ser mais agressivo. Em alguns casos, o paciente precisa ser anestesiado durante o procedimento. Na maioria dos casos, o paciente costuma complementar o tratamento com a utilização de determinados cremes em casa”, conta o cirurgião.

O peeling a laser mais famoso atualmente é de CO2 fracionado. “O laser é um dos tipos de peeling mais seguros porque podemos controlar diversas variáveis e evitar qualquer tipo de complicação”, afirma Marco.

Já o peeling de lixamento da pele tem o objetivo de lixar as células das camadas superficiais e médias da pele. Por isso, ele é indicado para pessoas que têm a pele muito grossa ou que sofreu muito ao longo do tempo.

Foto: Getty Images