Conheça o Muamber: app que conecta viajantes e compradores

Por em 29/07/2015

Quem nunca recebeu pedidos da família e dos amigos quando estava de viagem marcada para o exterior? Ou, então, se sentiu um pouco cara de pau ao fazer esse tipo de pedido pra alguém?

Foi pensando em situações como essas que o aplicativo Muamber foi criado, com o objetivo de simplificar e tornar colaborativa a maneira como as pessoas movimentam pequenas encomendas pelo mundo, conectando viajantes a compradores.

+ Saiba o que fazer e como evitar o extravio de bagagem

Apesar de já existirem serviços de e-commerce do mesmo tipo, principalmente focados em produtos eletrônicos, o intermediador costuma cobrar uma comissão ou taxa em cima da transação entre a pessoa que compra e a que serve como mala. Caso do site Cabe na Mala, por exemplo.

No Muamber não existe nenhuma comissão ou taxa sobre a transação para nenhuma das partes, porém, o serviço ainda está na versão beta, disponível somente para cadastro.

muamber

A aplicação funcionará apenas na versão mobile e a intenção é disponibilizar o app para iOS e Android a partir da segunda quinzena de agosto.

Inspiração

De maneira simplificada, o Muamber deve funcionar como um serviço de Correios, sendo um aplicativo de logística e não de e-commerce.

“A gente deveria criar um Uber para muambas”, foi o que saiu no meio da conversa que idealizou o projeto, segundo um de seus criadores, Sobhan Daliry. A partir da brincadeira com as palavras “Muamba” e “Uber” eles chegaram ao Muamber.

Funcionamento

O sistema vai funcionar como uma mistura dos aplicativos Tinder e Airbnb. Quem for viajar vai colocar em seu perfil a rota, espaço livre na mala e quais produtos poderia carregar como, por exemplo, maquiagem e vestuário. Quem precisa de algo e não tem nenhuma viagem marcada, busca as pessoas cadastradas na plataforma e dá uma espécie de match. Através do aplicativo, as partes vão conversando e negociando o serviço.

+ Dicas para acumular e usar milhas da melhor maneira

A ideia, a princípio, é que o sistema não tenha custo para quem o utiliza. Por outro lado, a negociação entre as duas pessoas interessadas não será avaliada pelo Muamber. Ou seja, uma pessoa pode trazer certa mercadoria de maneira gratuita ou não, tudo vai depender do acordo estabelecido. Por não ser uma plataforma de e-commerce, inicialmente não haverá sistema de transação no próprio aplicativo.

Assim como o Airbnb, o Muamber terá um ranking de reviews para aumentar a reputação tanto do comprador, quanto do operador logístico (quem trará a mercadoria).

Segurança

Os dados de ambas as partes não serão públicos, exceto o trecho, data e tipo de muambox (a mercadoria). Quando um encomender (quem encomenda) manda o pedido para os OLMs (operador logístico Muamber) que atendem sua necessidade, cria-se um canal de comunicação privado. A partir desse momento, os usuários compartilham os dados pessoais, se acharem conveniente.

O responsável pelo produto também garante que o aplicativo é contra burlar as leis alfandegárias, deixar de pagar impostos ou até mesmo trazer produtos ilegais para o país. “Estamos desenvolvendo as travas necessárias para não incentivar esse tipo de trâmite ilegal”, diz Sobhan. Ninguém vai poder usar o app para pedir coisas acima de 500 dólares, por exemplo, que é o limite determinado pela Receita Federal.

Com informações do TechTudo