Como aproveitar as comidas típicas da época sem brigar com a balança

Por em 17/06/2016

Junto com o mês de junho chegam as esperadas quermesses e festas juninas, recheadas de tentações e delícias típicas. Fica praticamente impossível resistir a paçocas, canjicas, arroz doce, bolos e tantas outras gostosuras.

Mas como aproveitar as comidas típicas da época sem brigar com a balança? A nutricionista Cintya Bassi, do Hospital e Maternidade São Cristóvão, dá dicas para quem quer aproveitar as delícias das comemorações de São João, mas sem brigar com a balança.

+ Delícias para fazer um arraial tradicional ou um arraial gourmet em São Paulo

Os principais vilões da época são os alimentos com maior quantidade de açúcar e gordura — consequentemente, os mais calóricos. “Nesse grupo podemos incluir o amendoim, paçoca, doce de abóbora e cachorro-quente. Os menos calóricos são a pipoca e o milho, desde que consumidos sem manteiga”, diz Cintya. Mas, para driblar a bomba calórica de alguns alimentos, uma dica é fazer a sua festa em casa, optando por receitas adaptadas. “Existem pratos típicos onde é possível substituir o açúcar por adoçante sem comprometer o sabor, como paçoca, doce de abóbora e bolos”, explica a nutricionista do São Cristóvão.

+ Quinze coisas que adoramos fazer no inverno

Moderação é a chave na hora de consumir as bebidas. O vinho quente é o mais calórico, com cerca de 200 calorias a porção. “Quentão e suco de uva têm praticamente a mesma quantidade de calorias. O primeiro possui entre 100 e 130 calorias, dependendo da receita, e o suco possui cerca de 140 calorias em um copo. Por isso, tome cuidado com a quantidade ingerida” diz Cintya.

Amendoim

amendoim

Crédito: Pixabay

A principal característica do amendoim é ser fonte de ácidos graxos monoinsaturados (gordura boa), que contribui para reduzir o colesterol ruim (LDL), aumentar o colesterol bom (HDL) e diminuir a oxidação celular. Além disso, ele tem fibras que auxiliam o funcionamento do intestino e prolongam a sensação de saciedade. O amentambém possui outros nutrientes como ferro, fósforo e potássio.

Mas atenção: muitas vezes o amendoim é torrado com sal, o que pede cautela e moderação no seu consumo.

Paçoca

Pacoca - brazilian candy of ground peanut

Crédito: Thinkstock

A paçoca é basicamente a mistura de amendoim com açúcar. As versões originais são carregadas de açúcar e não devem fazer parte de uma dieta habitual. Porém, já existem no mercado algumas versões lights, que oferecem o mesmo sabor com menos açúcar ou gordura.

Pipoca

pipoca

Crédito: Pixabay

A pipoca preparada em casa é um alimento benéfico, porque contém boa quantidade de fibras e também um pouco de vitamina A. Porém, devemos evitar acrescentar temperos industrializados ou gorduras (como a margarina) em seu preparo. Tudo isso acaba tornando o alimento prejudicial. O mesmo vale para a pipoca de micro-ondas que contém quantidades significativas de gordura.

Doce de abóbora

Homemade sweet pumpkin jam in two glass jars with napkin

Crédito: Thinkstock

A abóbora é um vegetal muito rico em nutrientes, o que a associa em estudos com a redução de alguns tipos de câncer e problemas cardiovasculares, além de conferir proteção à visão, devido à quantidade de vitamina A. O que ocorre com o doce de abóbora é o mesmo que acontece com a paçoca. Nesse caso, acrescenta-se açúcar, um alimento que não possui nutrientes, apenas calorias, provocando uma rápida elevação nos níveis de glicose no sangue e otimizando o depósito de gordura nas células. Optar por uma versão light também ajuda a diminuir os efeitos negativos do doce.

Quentão

quentão

Crédito: Reprodução YouTube

A bebida típica possui boas propriedades, entre elas o gengibre, que fortalece o sistema imunológico. Porém, o álcool e o açúcar também estão presentes na preparação. Se possível, prefira a versão sem álcool, que diminui a oferta calórica. Ainda assim, consuma com moderação.

Cachorro-quente

cachorro quente

Crédito: Pixabay

Mais um alimento que deve ser evitado ou consumido com moderação, pois seu ingrediente principal, a salsicha, é uma grande fonte de gordura saturada, que estimula o aumento de colesterol LDL e aumenta o risco de doenças cardiovasculares. Além disso, possui alta concentração de sódio, corantes e conservantes.

Milho

milho

Crédito: Pixabay

O cereal é rico em carboidratos e outros nutrientes como vitamina B1 e B2, vitamina E e fibras. Também possui dois importantes antioxidantes que contribuem para a saúde da visão: zeaxantina e luteína. O alimento in natura é saudável, por isso, evite o acréscimo excessivo de sal e margarina ou manteiga.

Pipoca doce

pipoca doce

Crédito: Pixabay

A pipoca, como vimos, é um bom alimento. Porém, a versão doce é acrescida de açúcar e, portanto, deve ser evitada.

Bolo de milho

Golden Organic Homemade Cornbread

Crédito: Thinkstock

O bolo de milho é mais um alimento que deve ser consumido com moderação, já que leva açúcar e gordura na receita. Além disso, o melhor é preparar o bolo com o milho in natura ao invés de usar a opção em conserva (de latinha).

Pé de moleque

Brazilian Pe de Moleque "Peanut Brittle" on table

Crédito: Thinkstock

Mesmo caso da paçoca: o amendoim é um alimento nutritivo embora calórico. Já o pé de moleque é muito rico em açúcar, por isso deve ser evitado ou consumido com moderação.

Maçã do amor

maçã do amor

Crédito: Pixabay

A melhor opção é sempre consumir a fruta in natura, que é rica em pectina, fibra que auxilia na redução de colesterol. Já a maçã do amor é mergulhada no açúcar em ponto de caramelo, o que aumenta o seu valor calórico. Por isso, consuma com moderação.

Bolo de fubá

bolo de fubá

Crédito: Reprodução

O bolo de fubá possui baixo valor nutricional, portanto também deve ser consumido com moderação.