Mulheres trabalham 7,5 horas a mais do que os homens, aponta pesquisa

Por Mariana Castro em 14/03/2017

Uma pesquisa divulgada recentemente revelou dados interessantes sobre a posição da mulher no mercado de trabalho e no ambiente familiar. Os números mostraram que, apesar da ascensão da mulher nos últimos anos, ainda há um longo caminho para que haja a completa igualdade entre os gêneros.

+ Cinco coisas que mulheres de sucesso têm em comum

+ Cinco dicas para crescer na empresa

Exemplo disso é que, segundo o estudo Retrato das Desigualdades de Gênero e Raça, feito com base nos dados do IBGE, as mulheres trabalham cerca de 7,5 horas a mais que os homens por semana. Isso acontece devido à dupla jornada realizada por elas, que soma o trabalho remunerado e os afazeres domésticos.

Apesar de ter caído nos últimos 20 anos, o número de mulheres que se ocupam das tarefas do lar continua superior ao dos homens. Já o tempo médio gasto pelos homens manteve-se estável. Por causa disso, segundo o estudo, não se pode dizer que haja indícios de uma nova divisão das tarefas entre homens e mulheres nos domicílios.

+Jovens da geração Z influenciam as compras da família, aponta pesquisa

O estudo revelou ainda que, até a década de 80, houve um aumento expressivo no número de mulheres no mercado de trabalho. Desde então, entretanto, essa taxa se estabilizou.

“Parece que as mulheres alcançaram o teto de entrada no mercado de trabalho. Elas não conseguiram superar os 60%, que consideramos um patamar baixo em comparação a muitos países”, explicou a especialista em políticas públicas e gestão governamental e uma das autoras do trabalho, Natália Fontoura, à Agência Brasil. “A responsabilidade feminina pelo cuidado da casa ainda continua impedindo que muitas mulheres entrem no mercado de trabalho e, ao mesmo tempo, aquelas que entram no mercado continuam respondendo pelas tarefas domésticas”, completou.

Foto: Getty Images