Volta às aulas: dicas para comprar material escolar

Por em 12/01/2016

Não tem jeito: para os pais, o começo do ano é sempre associado às despesas relacionadas ao retorno das aulas — entre elas a temida lista de material escolar.

+ Mochila pesada pode afetar a coluna das crianças

+ Escolas bilíngues no Brasil

Uma das maiores preocupações é encontrar produtos de qualidade e que não custem o olho da cara. De acordo com a Fundação de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon-SP), uma das maneiras mais efetivas de driblar esse problema ainda continua sendo o bom e velho hábito de pesquisar os produtos em diversos locais e comparar os preços.

Confira outras dicas para comprar material escolar que vão te ajudar a encontrar produtos bacanas e economizar:

Reaproveite o que for possível

Antes de ir às compras, cheque se restou algum dos itens pedidos no ano anterior e avalie a possibilidade de reaproveitá-los.

Preste atenção na lista de material fornecida pela escola

São frequentes os casos de abuso na hora do pedido de itens que estão fora das normas do Procon. A escola, por exemplo, não pode pedir materiais de higiene pessoal (papel higiênico, tolhas de papel, sabonete, etc), produtos de limpeza, materiais de uso coletivo (como cartucho ou toner para impressora, papel A4, giz), materiais de escritório, nem determinar marcas.

Compre em conjunto

Algumas lojas concedem descontos para compras em grandes quantidades. Portanto, sempre que possível, se reúna com outros pais e negocie os preços com os estabelecimentos.

Atente para marcas e personagens

Nem sempre o material mais sofisticado é o de melhor qualidade ou o mais adequado. Evite comprar materiais com personagens, logotipos e acessórios licenciados, pois, geralmente, eles são os responsáveis pelos preços mais elevados. Se o seu filho for junto, provavelmente irá optar pelos produtos da “moda”. Como alternativa, converse com a criança e combine de customizar alguns materiais como os cadernos, por exemplo.

Selo do Inmetro

Desde de fevereiro do ano passado, é obrigatório que alguns materiais como régua, apontador, giz de cera, massa de modelar, lápis, tesoura, tinta, entre outros produtos, tenham o selo do Inmetro.

Compras online

As compras online cresceram muito, afinal, além de ser mais fácil e cômodo pesquisar pela internet, a maioria dos sites costuma cobrir os preços das lojas de rua e shopping, que possuem custos maiores com marketing, locação e funcionários.

O único problema é o prazo de entrega, que pode demorar mais do que o desejado. Portanto, se optar por comprar a lista pela internet, se programe e faça com antecedência.

Confira agora alguns endereços de papelarias da capital: